NO AR!

Toca Brasil I Ed...

Nova Fm

Peça seu sucesso!

OUÇA AGORA!

Hoje, 22 de Setembro de 2018

Veja a tabela de preços de notas falsas vendidas pelo WhatsApp no Brasil

É interessante notar que, além de tabelas, são desenvolvidos pacotes de teste para novos usuários

13 de Fevereiro de 2018 12:00

O esquema de venda de notas falsas no Brasil não é novidade e o caso já foi denunciado. Praticamente perfeitas, as notas de reais são produzidas aos milhares por criminosos e, como você pode checar nas imagens, também é bem fácil comprar pacotes de notas.

De acordo com o threat researcher Ialle, que nos enviou imagens mostrando como funciona a operação de vendas em grupos de WhatsApp, cibercriminosos montam tabelas de valores para a negociação das notas falsas. É interessante notar que, além de tabelas, são desenvolvidos pacotes de teste para novos usuários.

Um pacote de teste costuma custa R$ 100 e o usuário recebe R$ 750 em notas falsas. Caso queira partir para outros pacotes, as opções ofertadas mais comuns são as seguintes:

Pacotes de notas falsas

R$ 200: pacote com R$ 2.000 de notas falsas

R$ 300: pacote com R$ 2.500 de notas falsas

R$ 370: pacote com R$ 3.000 de notas falsas

R$ 800: pacote com R$ 5.000 de notas falsas

R$ 1.000: pacote com R$ 8.000 de notas falsas

R$ 1.300: pacote com R$ 9.000 de notas falsas

R$ 1.500: pacote com R$ 10.000 de notas falsas

R$ 2.000: pacote com R$ 10.500 de notas falsas

É preciso notar que, como a mensagem do negociador diz, é possível comprar pacotes de valores ainda maiores — "valor a combinar", deixa claro. Outro ponto: "São as melhores que estou tendo neste momento, elas passam no teste da luz e caneta", diz o negociador indicando que as notas possuem relevo e as marcas d'água que atestam a possível veracidade da nota.

Não são só notas falsas: os negociadores também trabalham com cartões de crédito. As imagens indicam a venda de "cartões em nomes de terceiros, desbloqueado e com senha de imediato. Cartões com limites de R$ 1.000 até R$ 10.000".

Outro vendedor no WhatsApp divulga uma tabela com preços similares, mas mais caros. Isso porque o produto pode ser melhor no que toca segurança: as notas passam no teste da luz negra, da caneta e possuem papel áspero, marca d'água e fita holográfica. Este vendedor, conhecido como Stallone, vende um pacote de R$ 5 mil notas falsas por R$ 1 mil. O método de envio? O mais comum possível: Sedex, PAC ou carta registrada.

As redes sociais são os principais canais de venda dos cibercriminosos. O Facebook é usado para espalhar a notícia em grupos de interessados. Em seguida, o WhatsApp é o local das negociações: grupos formados de negociadores e compradores alimentam o trabalho. O YouTube também entra na jogada, principalmente para mostrar em vídeo como são os produtos — notas falsas, RGs/CNHs/diplomas falsos e cartões de crédito desviados.

 

Fonte: Tecmundo

Recomendar correção

CORREÇÕES

voltar