NO AR!

Ligou Tocou

Everton

Peça seu sucesso!

OUÇA AGORA!

Hoje, 14 de Dezembro de 2017

Novas práticas para dispensação de medicamentos no HRSP dão mais segurança aos pacientes

18 de Junho de 2017 18:00

O Hospital Regional São Paulo – ASSEC, de Xanxerê, implantou este ano novas práticas para a dispensação segura de medicamentos. As mudanças foram feitas no Setor da Farmácia, que prepara em média 25 mil kits de medicação injetável por mês. No setor são utilizadas novas etiquetas para medicamentos e ocorre a separação unitária da medicação por horário para cada paciente. As ações visam tornar o uso de medicamentos mais seguro durante o período de internação.

Conforme a coordenadora da Farmácia do HRSP, Isabela Pissetti Piccinin, a principal alteração é o sistema de dose unitária, o qual consiste na distribuição dos medicamentos com doses individualizadas para cada horário de administração, de acordo com a prescrição médica de cada paciente. Isabela frisa ainda que há meses não se registra nenhum evento adverso na dispensação de medicação.

“Toda a medicação dos pacientes é separada de acordo com o horário da administração, em embalagens seladas individualmente e identificadas com todas as informações do paciente. Isso facilita inclusive o trabalho da Enfermagem e a probabilidade da existência de eventos adversos de dispensação de medicação é mínima”, explica a coordenadora.

Outra ferramenta adotada é a identificação dos medicamentos com etiqueta de código de barras/data matrix, embalagens tarjadas e etiquetas de alerta para medicamentos de alta vigilância ou que necessitem de refrigeração, por exemplo. O principal objetivo é chamar atenção dos profissionais, para os produtos que precisam de mais cuidados na administração.

 

Conferência dos medicamentos

Para aumentar e garantir a segurança quanto a distribuição dos medicamentos, foram implantadas cinco etapas de conferências antes de chegar ao paciente. Isabela explica que a primeira delas é na área de dispensação da Farmácia. A segunda conferência ocorre na bipagem – onde todos os itens são bipados no sistema – e se houver alguma discrepância ou divergência o sistema acusa. No setor de selagem, onde ocorre a separação e embalagem das doses dos medicamentos por horário, há a terceira conferência da prescrição. Depois de tudo separado, antes de sair da Farmácia, para distribuição dos medicamentos nos setores, é feita a quarta checagem verificando o nome do paciente e a medicação correspondente. A quinta conferência ocorre nos setores de internação, onde o colaborador da farmácia confere junto com a enfermagem todos os medicamentos conforme a prescrição médica.

“A possibilidade de evento adverso fazendo esse processo é praticamente nula. Estamos trabalhando assim desde o fim de março. Toda essa mudança, envolve custos financeiros e operacionais, pois são necessárias mais etiquetas, mais bobinas plásticas, o trabalho no setor é maior e dispende mais tempo, porém temos apoio da direção para trabalhar em prol da segurança do paciente”, afirma.

Preocupação com o horário

Uma das preocupações do Setor de Farmácia também é com o horário em que as medicações serão entregues aos setores de internação. Isso se dá pelo fato de que os medicamentos precisam ser administrados exatamente nos horários prescritos para que tenham eficácia no tratamento.

“Temos um comprometimento interno com a equipe do Serviço de Farmácia e também com a equipe médica, de que a medicação deve chegar nos setores de internação com no mínimo meia hora de antecedência do horário de administração, por isso as prescrições normalmente seguem um limite de horário para serem feitas a fim de que possamos evitar atrasos. São muitos setores, processos e principalmente pessoas envolvidas para que a plena restauração da saúde dos nossos pacientes seja feita o mais breve possível”, finaliza.

Fonte: LANCE NOTÍCIAS

Recomendar correção

CORREÇÕES

voltar